AR BN FR DE HI HU ID MS NE PT SI ES TE VI
Ir para o conteúdo principal

Guia de controle biológico (bioproteção) para iniciantes

Noções básicas de biocontrole

Um close de uma joaninha em uma folha
Agentes de controle biológico, como as joaninhas, são frequentemente usados ​​para o controle de insetos praga como os pulgões. Quartl/via Wikipédia – CC BY-SA 3.0

Visão geral

O que é controle biológico (biocontrole)?
Por que o controle biológico de pragas é necessário?
Quais são os diferentes tipos de controle biológico de pragas?
Quais são os diferentes agentes de controle biológico?
As vantagens do controle biológico
Os desafios do controle biológico de pragas

O que é controle biológico?

Controle biológico(ou 'bioproteção') é o uso de organismos vivos e substâncias de origem natural (ou idênticos aos naturais) para o controle das populações de pragas e doenças.

IBMA (Associação Internacional de Fabricantes de Biocontrole) define produtos de biocontrole como: 

Ferramentas originadas da natureza, com baixo impacto na saúde humana e no meio ambiente, controlam pragas, plantas daninhas e doenças.

As pessoas têm utilizado esta abordagem com sucesso há mais de 100 anos para controlar a disseminação de pragas, proteger as culturas e restaurar o equilíbrio dos ecossistemas e habitats.  

Controle biológico de pragas como alternativa natural aos pesticidas

O controle biológico utiliza tecnologias naturais para controlar as pragas de forma ambientalmente segura.
Quando usado corretamente, ele pode permitir que os produtores reduzam o uso de produtos químicos sintéticos. Estes produtos químicos podem ter um impacto devastadoramente negativo nos seres humanos, na vida selvagem e na saúde do solo.

Espécies invasoras ou pragas não nativas são pragas que foram transferidas para novos ambientes sem os inimigos naturais, permitindo uma disseminação descontrolada. No CABI, tem sido comprovado que o controle biológico é uma forma eficaz para controlar espécies invasoras ou não nativas através de um método denominado Manejo Integrado de Pragas (MIP).

Qual é o objetivo do controle biológico de pragas e quem deve utilizá-lo?

O objetivo do biocontrole é fornecer aos produtores ferramentas para proteger suas plantas contra o ataque de pragas e doenças indesejadas, sem colocar em risco os humanos, sem causar danos à vida selvagem e sem promover a resistência das pragas. Pode ser utilizado como um método de ação rápida ou como uma forma de aumentar a imunidade das plantas a longo prazo. Este método também é adequado para pessoas interessadas na agricultura orgânica e sustentável

Por que o controle biológico de pragas é necessário?

Close do fungo trichoderma sob um microscópio
Trichoderma viride (acima) é um fungo que pode atuar como biofungicida. Pode ser utilizado como método de controle biológico para suprimir doenças causadas por fungos patogênicos de plantas. Foto de CABI.

Os métodos de controle biológico estão ganhando popularidade devido aos inúmeros problemas de segurança (ambiental, vida selvagem e humana) e à resistência de pragas relacionados ao uso de pesticidas químicos tradicionais. 

Além disso, o aumento da popularidade entre os consumidores devido à demanda por alimentos orgânicos e/ou com baixo teor de resíduos resultou em um incremento na busca por métodos mais naturais de controle de pragas.  

Redução no uso de insumos químicos de origem sintética

Os pesticidas químicos de origem sintética podem ter efeitos prejudiciais em diversos aspectos relacionados à agricultura. Podem alterar a vida no solo, limitando os processos básicos de crescimento e vigor das plantas, danificar a vida selvagem dentro e ao redor da fazenda e contaminar os corpos de água  

Os pesticidas tóxicos de origem sintética podem causar efeitos diretos sobre a vida humana através da exposição agrícola, da contaminação da água e das perdas de cultivos, afetando os meios de subsistência dos agricultores.

Novas pragas e doenças

O aumento do comércio e das viagens entre países fez com que espécies não autóctones chegassem a lugares onde não estavam presentes, causando estragos em ecossistemas nativos com um frágil equilíbrio ecológico. A falta de espécies de predadores, patógenos e competidores naturais que normalmente controlam pragas e doenças provoca a alteração desse equilíbrio. Isso dá à praga invasora uma enorme vantagem sobre as espécies nativas.

Quais são os diferentes tipos de controle biológico de pragas?

Vespa parasita (Diadromus pulchellus) atacando uma pupa da mariposa do alho-poró
Diadromus pulchellus atacando uma pupa de mariposa de alho-poró

Existem várias estratégias ou tipos diferentes de controle biológico: aumentativo, clássico (importação) e por conservação. 

Controle biológico aumentativo


O controle biológico aumentativo implica a liberação de inimigos naturais das pragas. Isso inclui microrganismos, substâncias de origem natural, insetos predadores e ácaros capazes de matar ou suprimir populações de pragas e doenças.

A liberação pode ser em pequenas quantidades, mas constante ao longo das estações (inoculativa), ou uma liberação maior que busca ter um impacto mais imediato (inundativa). 

Controle biológico clássico


O controle biológico clássico, também conhecido como controle biológico por importação, consiste em introduzir um organismo exótico para controlar uma praga em uma área invadida.

O objetivo não é erradicar o inseto invasor, mas reduzir a densidade da praga para um nível abaixo do limiar ecológico ou econômico adequado. 

CABI– a organização que administra o Portal CABI de BioProteção, tem uma rica história de controle biológico clássico. Ele investiga possíveis agentes de controle biológico para várias espécies invasoras em nível mundial. Seu trabalho incluiu a liberação do agente de controle biológico Diadromus pulchellus, uma espécie de vespa usada no controle da espécie invasora, a traça do alho-poró, Acrolepiopsis assectella, no Canadá.

Controle biológico por conservação

O controle biológico por conservação consiste na preservação, ou conservação, das espécies de inimigos naturais que já existem em um ambiente determinado e que controlam as populações de uma praga. Essa estratégia pode ser considerada um dos tipos mais simples de controle biológico, já que os inimigos naturais já estão fazendo seu trabalho. O objetivo do controle biológico por conservação é manter as populações do agente de controle biológico.

Quais são os diferentes agentes de controle biológico?

Um close de um nematóide sob um microscópio e um de seus ovos
Um nematóide, um verme microscópico que pode ser usado para o controle biológico de pragas junto com um de seus ovos. Imagem de CABI.

Existem vários tipos de agentes de controle biológico, incluindo microbianos, substâncias naturais, invertebrados (insetos, ácaros, nematóides) e semioquímicos. Estes podem perturbar, deter ou matar pragas e doenças que atacam as plantas.

Agentes microbiológicos

Neste grupo, incluem-se bactérias, fungos, vírus e outros microrganismos que têm a capacidade de matar pragas ou competir e prevenir doenças. Tanto a possibilidade de registro mundial quanto a produção massal tornaram os microbiológicos amplamente disponíveis para a proteção das culturas contra o ataque de diversas pragas e doenças.

Eles se relacionam com um método de controle de pragas ou doenças baseado no uso de agentes microbiológicos ou microrganismos, que são seres vivos muito pequenos.

Substâncias naturais

As substâncias de origem natural contém componentes, incluindo produtos químicos naturais, que se originam na natureza e têm atividade antimicrobiana, inseticida ou repelente contra pragas. Essas substâncias podem ser obtidas a partir de plantas, animais e microrganismos, embora não exclusivamente. Também podem ser produzidas como uma cópia sintética de uma substância original.

Semioquímicos


Tanto os animais quanto as plantas produzem semioquímicos, que são compostos que emitem mensagens usadas para modificar ou interromper o comportamento normal de uma praga.

Um feromônio é um sinal químico produzido por um organismo que altera o comportamento do receptor e é utilizado no biocontrole

Agentes macrobiológicos

Os agentes macrobiológicos, também chamados de agentes invertebrados de biocontrole, incluem insetos, nematoides e ácaros que, quando liberados, podem parasitar e/ou se alimentar das pragas. 

Parasitóides benéficos, como vespas parasitóides, podem ser usados ​​como agentes de biocontrole biológico. Os parasitóides podem depositar seus ovos dentro ou fora do hospedeiro, a praga, o que impedirá seu crescimento e eventualmente causará sua morte.

Em 2021, a CABI e a Koppert Biological Systems Ltd iniciaram um projeto no Quênia para gerenciar uma praga do tomate Tuta absoluta utilizando, entre outras coisas, o mirídeo predador Macrolophus pygmaeus (conhecido como MIRICAL).

As vantagens do controle biológico

Um close de uma lagarta infectada por vírus que mostra deformidades em um tronco de árvore
Uma lagarta de mariposa cigana infectada com o vírus da poliedrose nuclear. Imagem de David Cappaert, Bugwood.org

Dirigido


A escolha de um método de biocontrole envolve considerar sua capacidade específica de combater uma praga ou doença em uma planta específica, garantindo uma alta taxa de sucesso.

Saiba mais sobre Como as estratégias de bioproteção localizam as pragas.

Sustentável

O uso de substâncias de origem natural como método de controle biológico implica que há uma probabilidade mínima de ocorrerem efeitos adversos contra pessoas, vida selvagem ou meio ambiente. Isso é considerado uma solução viável a longo prazo que é aplicável a todos os tipos de cultivo, incluindo cultivos no campo, jardins privados e estufas

Saiba mais sobre Como as estratégias de bioproteção podem ser amigáveis com o meio ambiente

Custos

Às vezes, os produtores podem obter produtos de origem natural a um preço mais baixo do que os pesticidas químicos de origem sintética. Além disso, ao promover uma melhor saúde do solo e evitar as aplicações repetidas de pesticidas químicos ineficazes ou que provocaram resistência nas pragas, os produtos biológicos podem se tornar muito rentáveis a longo prazo.  

O controle biológico clássico pode se tornar uma solução permanente e auto-sustentável. Uma vez implementado, não há necessidade de fazer novas aplicações. 

Além disso, usando o uso do biocontrole pode contribuir para que os agricultores possam acessar um maior número de mercados, como o mercado de produtos orgânicos.

Segurança


É bem improvável que os métodos de biocontrole, elaborados a partir de materiais obtidos da natureza, tenham efeitos secundários perigosos. Infelizmente, os pesticidas químicos mais tóxicos frequentemente produzem efeitos secundários, incluindo impactos sobre pessoas, plantas e ecossistemas, tanto de forma aguda (a curto prazo) quanto crônica (a longo prazo).

Saiba mais sobre Como o biocontrole pode ser uma alternativa mais segura ao uso de pesticidas químicos.

Resistência

O controle biológico oferece novos modos de ação em comparação com sua contraparte química, o que diminui a taxa de resistência de pragas e doenças, mantendo-a em níveis manejavéis. Além disso, os cientistas estão constantemente na busca de novos organismos e novos modos de ação para estar à frente do jogo.

Saiba mais sobre como a bioproteção pode retardar a resistência a pragas.

Os desafios do controle biológico de pragas

Armazenamento

Devido à natureza "viva" dos diferentes métodos de controle biológico, muitas vezes são necessárias instalações adequadas para o armazenamento, como refrigeração, para manter os componentes vivos e utilizáveis, aos quais alguns produtores podem não ter acesso. No entanto, nestes casos, pode-se buscar um método alternativo de biocontrole que não exija meios de armazenamento específicos.

Educação

Dado que é um método relativamente novo para o controle de pragas, é possível que alguns produtores não tenham o conhecimento necessário para implementar adequadamente o controle biológico. Assim, eles podem preferir ficar com os métodos que já testaram anteriormente.  

Dito isso, os produtos de biocontrole sempre são provistos com rótulos e instruções detalhadas sobre como usá-los. Além disso, os consultores (quando disponíveis) poderão fornecer boas dicas sobre como usar os produtos para garantir sua eficácia. 

A educação do usuário é uma questão na qual a CABI trabalha ativamente para melhorar, inclusive em projetos como o Portal CABI de Bioproteção e o programa Plantwise Plus .  

Links úteis

O curso online, Introdução aos Produtos de Bioproteção, explica o que são os produtos de bioproteção e como funcionam no campo. Ele se baseia na ampla experiência acumulada pela CABI no desenvolvimento de soluções de controle biológico cientificamente sólidas para o controle de pragas e doenças nas culturas.

Compartilhe esta página

Artigos relacionados

Esta página é útil?

Lamentamos que a página não tenha correspondido ao seu
expectativas. Por favor, deixe-nos saber como
podemos melhorá-lo.