Mosca do feijão – como reconhecer, prevenir e controlar esta praga comum das leguminosas

Forma adulta da mosca do feijão que vem assolando as lavouras do Quênia

Através do mecanismo de feedback do Portal CABI de BioProteção, o CABI descobriu recentemente que os produtores rurais do Quênia estão enfrentando problemas com a mosca do feijão (Ophiomyia spp.). Compilamos este artigo informativo sobre esta mosca para ajudar a reconhecer, evitar que se torne uma praga e controla-la de maneira eficaz.

A mosca do feijão pode ser encontrada em todo o mundo e, portanto, as informações contidas neste artigo são úteis aos produtores não apenas do Quênia, mas também de outros países afetados por esta praga.

Como você pode identificar a mosca do feijão?

Conhecida comumente como mosca do feijão, o nome científico deste inseto é Ophiomyia spp., o que inclui as espécies O. phaseoliO. spencerella and O. centrosematis.

A mosca do feijão é uma pequena mosca azul-escuro de aspecto metálico brilhante, com cerca de 2 mm de comprimento e asas transparentes. As larvas são de coloração branco-amarelada com 3 mm de comprimento. As pupas têm forma cilíndrica com cerca de 2 a 3 mm de comprimento. Elas são inicialmente amareladas com terminações escuras, mas tornam-se marrom-escuro (O. phaseoli) , preto brilhante (O. spencerella) ou vermelho-alaranjado (O. centrosematis).

Quais plantas são atacadas pela mosca do feijão?

As larvas desta pequena mosca azul-escuro atacam os caules e folhas de leguminosas, incluindo o feijão comum (Phaseolus vulgaris).

O. phaseoli é a mais destrutiva do grupo, atacando uma ampla gama de leguminosas, incluindo o feijão comum (Phaseolus vulgaris), soja (Glycine max) e o feijão fradinho (Vigna unguiculata). O. spencerella também ataca o feijão comum (P. vulgaris), assim como o feijão-arroz (Vigna umbellata), feijão de Lima (Phaseolus lunataus) e outras culturas da família Fabaceae. Da mesma forma, O. centrosematis tem uma ampla gama de hospedeiros, incluindo o feijão comum (P. vulgaris), a centrosema (Centrosema pubescens) e o feijão fradinho (V. unguiculata).

Pupa de mosca do feijão ©CABI

Quais plantas são atacadas pela mosca do feijão?

Os danos iniciais aparecem na superfície foliar com pequenas áreas de coloração amarelo-pálido devido à alimentação de adultos e à postura de ovos. A infestação intensa pode levar à queda de folhas.

A emergência das larvas resulta no desenvolvimento de minas (marcas alinhadas) na folha, à medida que as larvas se alimentam. O principal dano é causado pela alimentação das larvas no caule à medida que elas descem para a parte inferior. Isto pode causar inchaço e rachaduras no caule. Em ataques severos, a planta pode cessar o crescimento (colapso), murchar e morrer. Se a planta sobreviver, apresentará redução no crescimento e rendimento. Ela poderá produzir raízes adventícias (raízes que se formam a partir de tecido não radicular) para compensar os danos. A perda de rendimento pode ser de até 100%.

Qual é o ciclo de vida da mosca do feijão?

O ciclo de vida da mosca do feijão consiste nas fases de ovo, larva, pupa e adulto.

O. phaseoli põe seus ovos na superfície superior ou inferior da folha, geralmente perto da nervura central, próximo ao pecíolo da folha. Ela põe uma média de 100 ovos ao longo de sua vida. Os ovos são incubados por 2 a 4 dias. O. spencerella e a O. centrosematis põem seus ovos no hipocótilo (caule da plântula) e raramente nas folhas.

As larvas criam túneis de alimentação, logo abaixo da epiderme da folha e/ou do caule. O estágio larval (três instares) pode durar de 8 a 10 dias, dependendo da temperatura (até 11 dias para a O. centrosematis).

As pupas são formadas nos túneis de alimentação do caule e o período de pupa pode variar de 7 a 20 dias, dependendo das condições. Os adultos emergem e o acasalamento começa dentro de 2 a 3 dias.

Estado avançado de escavação das folhas pela mosca do feijão ©CABI

Como monitorar a mosca do feijão?

Os produtores irão monitorar as mudas duas vezes por semana, inspecionando os caules e as folhas para os seguintes aspectos:

  • Marcas de oviposição nas folhas
  • Minas feitas pelas larvas nas folhas, pecíolos e caules
  • Inchaço e rachadura no caule, particularmente na base
  • Presença de pupas no caule
  • Presença de moscas adultas

Medidas de controle devem ser aplicadas quando 5-10% da população de plantas estiver infestada.

Como controlar a mosca do feijão?

Você pode controlar a mosca do feijão através da prevenção e controle direto. Os métodos culturais incluem:

  • Plantio antecipado
  • Uso de Mulching
  • Aplicação de fertilizante
  • Rotação com culturas não hospedeiras
  • Cultivo consorciado (com milho)
  • Evitar semear perto de outras leguminosas hospedeiras
  • Remoção de plantas daninhas e plantas voluntárias
  • Remoção e destruição de resíduos culturais e todas as partes de plantas com danos ocasiosanados pela mosca do feijão
  • Amontoar o solo ao redor das plantas para cobrir as raízes 2 a 3 semanas após a emergência
  • Uso de variedades resistentes
  • Uso de armadilhas pegajosas para captura de moscas adultas

Também estão disponíveis opções de controle biológico. Para mais informações, visite: www.bioprotectionportal.com

O controle também pode incluir defensivos químicos convencionais (sistêmicos). Verifique a disponibilidade de produtos registrados em seu respectivo país.

Mais informações sobre a mosca do feijão, sua distribuição, ciclo de vida e controle podem ser encontradas no site Plantwise Knowledge Bank, Infonet biovision, Plantix, Business Queensland e em uma análise recente de Nkhata et al. (2018)

Larvas de moscas do feijão em folhas de soja ©CABI